Comprometimento: ampliando a visão, aumentando as conquistas

Comprometimento: ampliando a visão, aumentando as conquistas

Comprometimento: ampliando a visão, aumentando as conquistas

300 200 PS

Conquistando o comprometimento

Para aumentar o comprometimento e a performance dos colaboradores, as empresas precisam se empenhar para criar um ambiente de trabalho mais significativo e humano. Em seu livro “Thrive”, Arianna Huffington trabalha a redefinição do significado de sucesso, dando uma conotação mais humanística para o conceito.
Para Arianna, saúde cria riqueza, já que pessoas saudáveis e focadas, além de serem mais felizes, se tornam predispostas a tomar melhores decisões, a serem líderes melhores e a gerar mais valor para suas organizações. Enquanto muitas empresas ainda não estão atentas a essa tendência, outras estão levando o comprometimento dos colaboradores a sério e criaram o que está sendo chamado de organização “Simplesmente Irresistível”.

Os 5 elementos-chave do comprometimento

Depois de estudar sobre o assunto, Josh Bersin – colaborador da Forbes e analista de RH corporativo, gestão de talentos e liderança – chegou à conclusão de que nas organizações com alto nível de comprometimento existem cinco elementos-chave:
Trabalho significativo – um dos maiores desafios é dar às pessoas um bom trabalho, fazendo com que elas tenham autonomia suficiente para serem criativas e tempo suficiente para apresentarem um bom desempenho. Estudos mostram que as empresas que tentam reduzir o custo do trabalho são superadas por aquelas que buscam capacitar seus colaboradores e oferecem boa remuneração. Atualmente, quase todos os setores da economia são valorizados pela prestação de serviço, propriedade intelectual ou criatividade, o que torna as pessoas uma parte importante do produto. Desse modo, as empresas devem procurar criar empregos que concedam a elas autonomia, domínio e propósito.
Boa gestão – as pessoas prosperam através de coaching, feedback e oportunidades para o desenvolvimento. Líderes que criticam seus liderados, demandam muito e evitam a comunicação acabam gerando um clima de estresse e medo na organização.
Oportunidade de crescimento – uma das principais razões pelas quais as pessoas deixam as empresas é a falta de oportunidade. Pesquisas mostram que as organizações que investem em treinamento e desenvolvimento de carreira superam seus concorrentes em quase todas as áreas do mercado. Como nem todo mundo vai passar para a gestão ou receber uma promoção, recomenda-se que as empresas facilitem a mobilidade de talentos, ou seja, que permitam que as pessoas mudem de emprego dentro da própria empresa, de acordo com suas aptidões, sem medo do fracasso.
Ambiente flexível e divertido – algumas empresas mostram que se importam com seus colaboradores dispondo de pequenos espaços para diversão e salas de descanso, por exemplo. Além disso, possuem uma cultura aberta, com tempo de férias e horários flexíveis. Isso é uma tendência que, segundo Bersin, não pode parar, já que se trata de uma maneira humana e carinhosa de tratar as pessoas.
Liderança inspiradora – os dias de líderes obcecados por lucro estão lentamente chegando ao fim. Agora eles estão percebendo que são a alma do negócio e inspiram as pessoas a contribuir. Os valores da empresa devem começar no topo.
Na economia altamente competitiva dos dias de hoje ser “irresistível” e conseguir engajar os funcionários é uma das maiores conquistas que sua empresa pode ter.

Comentários

comentário