O futuro da humanidade depende de uma decisão sua

futuro-da-humanidade-globo-digital

O futuro da humanidade depende de uma decisão sua

2261 1326 PS

Ainda estamos no início de 2019 e provavelmente você já está convivendo com suas decisões de novo ano e se adaptando a elas.

Quando eu fui escrever as minhas aspirações para este ano, eu me perguntei: “O que, para mim, é mais importante agora? Quais caminhos quero percorrer? Para onde esses caminhos poderão me levar?”

São muitas possibilidades, você não acha? Às vezes pode até ser difícil escolher, de tantas opções que temos quando vamos decidir onde colocaremos nossa energia vital nos próximos meses.

Então o que fazer diante desse mar de possibilidades?

Acredito que, na resposta dessa pergunta, reside um valioso segredo. Nas escrituras milenares de Bhagavad-Gita, encontrei a seguinte frase:

“Só é sábio aquele que se mantém senhor de si mesmo.”

Ou seja, a responsabilidade por definir seus critérios para suas decisões de vida é sua. Se você não tiver claro seus critérios, dificilmente saberá decidir. E, se isso acontecer, provavelmente você será apenas mais um objeto flutuante no mundo dos automatismos e condicionamentos.

Uma pesquisa realizada na Irlanda em 2018 pela UCD e Amarach Research nos mostra o impacto das nossas decisões. Uma de suas conclusões é que decisões conscientes influenciam significativamente no nosso bem-estar e na nossa capacidade de autocontrole. E aí, será que vale a pena rever como você tem tomado suas decisões na vida?

Busca por felicidade, armadilha ou oportunidade?

Um dos autores que mais tenho citado recentemente nas minhas palestras é o Martin Seligman. Autor do livro “A Felicidade Autêntica”, ele nos mostra, através de suas pesquisas, essa visão de armadilha e de oportunidade quando nos referimos a nossa busca por felicidade. Muitos não sabem mas, de forma mais ou menos consciente, a forma como acreditamos que vamos ser felizes é um dos nossos principais critérios que usamos para nossas decisões na vida.

Em seu livro “A Felicidade Autêntica”, o autor nos mostra a grande armadilha que está por trás de uma pessoa que busca ser feliz através dos prazeres. A busca constante no que está fora de si mesmo. Segundo suas pesquisas, os maiores níveis de felicidade de longo prazo na vida são encontrados nas pessoas que deram um significado a ela. Naqueles que se engajam em desenvolver e disponibilizar seus talentos e qualidades para algo maior do que si mesmos.

E onde você acha que a maioria das pessoas mais têm buscado sua felicidade? E você, onde mais tem buscado?

Tem algo absurdo acontecendo na humanidade! Olha para isso comigo.

Outra forma de olharmos para onde a humanidade tem concentrado sua energia é a partir desse relato real. Um cidadão está dirigindo um carro de 150 mil reais, o veículo dispõe de várias tecnologias de última geração para aumentar o conforto e a segurança de quem está no carro. Então essa pessoa toma uma fechada no trânsito. O que ela faz? Sua mente está tão avançada quanto seu carro para lidar com uma situação difícil? Não, ela desce do seu carro, começa a chutar o outro carro e a xingar o outro motorista, não muito diferente de como reagiriam nossos ancestrais que moravam em cavernas.

Estamos desenvolvendo as tecnologias, facilitando o acesso aos bens materiais. Temos facilmente disponíveis para comprarmos produtos e serviços com os quais jamais sonhamos. Mas, ao mesmo tempo, estamos evoluindo muito pouco como raça humana.

Mesmo que existam, vejo ainda poucas iniciativas de cuidados com a mente, com a visão de mundo, com o planeta e com os outros seres. Grande parte das decisões que estamos tomando em nossas vidas ainda está pautada na armadilha (do foco na busca por prazer) apontada pelo Seligman.

Não é coerente a relação entre as conquistas da ciência e os alarmantes números de depressão, consumo de psicotrópicos, suicídios, dependência química, conflitos armados e pessoas vivendo na linha da miséria.

Amarrando tudo… meu convite para você

Ao rever seus critérios decisórios, aquilo que te move em busca da felicidade, pense em ampliar sua visão para além das pequenas buscas e conquistas às quais somos tentados diariamente a considerar como fonte de felicidade. Essa receita comprovadamente não está funcionando.

Se nos encontrarmos, estarei menos interessado no que e no quanto você tem. Eu vou querer saber o que você faz com isso. A que fim você tem dedicado sua vida. O que te move.

Meu compromisso

Recentemente tomei uma série de decisões importantes de vida. Como critério, procurei usar a visão que estou querendo compartilhar nesse artigo, na minha busca por agir de forma mais consciente neste mundo. Como aprendi que compartilhar com outras pessoas nossas decisões ajudam a fazê-las ganhar força, então vou contar para você, que chegou até aqui, 3 delas que estão valendo para 2019:

  • Meditar de 30 a 60 minutos por dia, todos os dias.
  • Ampliar minha atuação voluntária em projetos com fins sociais e humanitários.
  • Escrever 2 artigos por mês e postar no linkedIn.

E você? O que o mundo pode esperar de você este ano?

Que suas decisões sejam tão sábias que você viva sempre em paz com elas.

“A vida é uma questão de escolhas, toda vez que você as faz, elas fazem você.”

John Maxwell

05 de fevereiro de 2019

 

 

 

 

 

 

Comentários

comentário