Muito se fala em transformação digital. Gostaríamos de ressaltar dois fatores em especial:

  • Pressões externas quanto a mudanças estruturais nas empresa
  • A chegada de novas gerações, que estão exigindo reinvenções internas

Ou seja, mudanças por toda parte, pouco tempo para fazê-las e muito sofrimento no processo.

 

A transformação digital está causando sofrimento na sua empresa?

Você também se sente sufocado pela velocidade e insegurança do momento?

Diante desse cenário, mais do que nunca, é necessário encontrar maneiras de investir na proteção das pessoas dentro das empresas. Pois ela estão muito vulneráveis.

Os impactos da transformação digital na saúde das organizações

A pressão por resultados e a instabilidade do momento estão aflorando sentimentos de raiva, ansiedade, medo. Assim, aumentando o sofrimento emocional. 

Esse é o motivo pelo qual o Fórum Econômico Mundial identificou a Inteligência Emocional como uma das 10 principais habilidades do presente e do futuro. Afinal, ela auxilia diretamente na capacidade de:

  • Melhorar o ambiente marcado pela pressão
  • Criar melhores relacionamentos
  • Melhorar pensamento crítico
  • Ter um olhar sistêmico

O que fazer? E como?

As organizações precisam pensar em estratégias e práticas internas de gestão de pessoas. Em primeiro lugar, visando a implementação de uma cultura de inteligência emocional, para que todos possam lidar melhor com a transformação digital e seu ambiente de constante mudança e muitos desafios.

Não estamos falando de deixar de lado as metas e objetivos da empresa. Porém, a nova responsabilidade é de criar um ambiente de segurança psicológica dentro do time. Para que, dessa forma, todos possam caminhar em uma jornada mais leve e equilibrada em direção à inovação.

#1 Promova a confiança, diminua a competição

Sua equipe pode estar sofrendo pela falta de confiança entre os membros e você ainda nem notou.

Times com deficiência de confiança:

  • Demoram mais para realizar tarefas
  • Não pedem ajuda
  • Guardam ressentimentos
  • Não dão feedbacks
  • Evitam conversas difíceis e importantes

Entre outros comportamentos que requerem um maior preparo emocional. 

De acordo com a PricewaterhouseCoopers, mais de 75% das pessoas abaixo de 30 anos acredita que feedback é muito valioso, mas menos de 30% afirmou realmente receberem feedback.

O feedback é uma estratégia importante de construção de confiança. Afinal, requer exposição, empatia, autoconhecimento e maturidade.

Criar um ambiente de confiança também prevê diminuir a competição, apoiar a resolução de problemas em conjunto e, principalmente, promover a co-criação. 

Criar um ambiente de confiança é sinônimo de humanizar as relações: 

  • Um lugar que seja possível errar sem ser massacrado ou humilhado, desde que esteja comprometido com o acerto.
  • Um ambiente permite que o líder também erra e não possui todas as respostas sempre.
  • Um ecossistema no qual as emoções pessoais sejam entendidas, e não rejeitadas.

#3 Vulnerabilidade: um ato de coragem

Quando pensamos em vulnerabilidade, normalmente nos remete à fragilidade ou a algo que deveria ser evitado, concorda?

Resultado: sofremos muito quando somos colocados frente a situações que exigem exposição ou quando temos algum tipo de ato falho, o que nos dá a sensação de não sermos bons o bastante.

No entanto, a pesquisadora e especialista no tema, Brené Brown, revela que a vulnerabilidade não é uma medida de fraqueza e sim a melhor definição de coragem.

Na prática, a vulnerabilidade significa a disposição de se expor, de se expressar de uma forma autêntica e franca, de correr riscos e realizar tarefas sem a garantia de um resultado. Consequentemente, de colher os aprendizados e soluções mais inovadoras geradas a partir dessa atitude genuína.

Entenda mais sobre O poder da vulnerabilidade e reconheça o Poder da Coragem com Brené Brown. 

#4 A empatia e sua importância transformadora

Você sabia que:

  • 80% dos funcionários não acha que a empresa que ele trabalha é empática
  • 60% aceitaria receber um salário inferior se o empregador demonstrasse empatia
  • 92% teriam maior probabilidade de permanecer na empresa se tivessem mais empatia com suas necessidades? 

Preocupado com esses números?

Em um cenário marcado pela pressão por resultados e emoções à flor da pele, é preciso encontrar uma maneira de se relacionar e construir conexões saudáveis com todas as pessoas.

Independente do quão difícil seja uma relação, cultivar compaixão pelos colegas e olhar atentamente às necessidades de cada um, é um bom começo. Mas você sabe o que é ter empatia? 

O papel da empatia

Nós vivemos em uma realidade totalmente baseada em nossas próprias experiências e em nossos próprios sentimentos. Nesse sentido, ter empatia é ser capaz se colocar na perspectiva da outra pessoa, compreendendo suas emoções e sua realidade

A habilidade de se comunicar e entender as emoções uns dos outros é o segredo para manter boas relações e  serve tanto para a melhora da comunicação quanto para a criação de soluções.

O Programa Search Inside Yourself, nascido e testado na Google, é um programa de Inteligência Emocional com base em Mindfulness focado em líderes, que constrói bases para lidar com os desafios e a volatilidade da transformação digital. Uma pesquisa com mais de 1,500 pessoas que participaram dos programas, provou que 64% dos participantes passaram a implementar a empatia, se colocando no lugar do outro antes de dar um feedback.

Conheça mais sobre o Search Inside Yourself, clicando aqui

#5 Que os conflitos sejam produtivos

Uma grande fonte de sofrimento nas empresas remete aos conflitos gerados entre diferentes áreas por falta de alinhamento e colaboração.

Para contornar essa situação, é necessário promover a comunicação entre as diferentes equipes, para que se conheçam melhor e possam criar confiança, amenizar a competição e promover a empatia. 

Apresentar projetos para diferentes áreas e conviver com líderes do outro setor são atitudes simples que evitam sofrimento e resultam na ampliação da visão sistêmica e na criação de soluções conjuntas e inovadoras. 

Ação!

Apenas 15% dos empregados ao redor do mundo, em meio à transformação digital, estão engajados no trabalho e poucas organizações estão atentas a este número.  

Investir na cultura de inteligência emocional é essencial para a saúde da sua empresa. Afinal, funcionários mais felizes criam melhores ecossistemas, o que leva a uma melhor produtividade.

Inteligência emocional 

A TalentSmart conduziu uma pesquisa com mais de um milhão de pessoas e descobriu que 90% dos funcionários de alto desempenho são qualificados para administrar suas emoções em momentos de estresse, a fim de manter a calma e o controle. 

Você quer resultado? Então precisa começar a olhar de forma mais profunda para seus colaboradores.

Vamos fazer essa transformação juntos? Leve o mais confiável programa de Inteligência Emocional para a sua empresa.

 

Eu quero